Notícias

Associada Katia Kruger comenta decisão do CNJ sobre a utilização dos nomes dos cargos também no feminino

Associada fez post em seu Instagram, em alusão ao Mês da Mulher (março/2021)
15 de April de 2021

A associada Katia Kruger, Promotora de Justiça que atua na 5ª Promotoria de Toledo, comentou sobre a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determina o emprego obrigatório da flexão de gênero para nomear profissão ou demais designações na comunicação social e institucional do Poder Judiciário nacional.

Em uma série de publicações em seu Instagram, em alusão ao Mês da Mulher, Katia publicou sobre esta recente decisão e levantou uma reflexão a respeito da língua portuguesa e situações que o masculino oculta o feminino, citando alguns exemplos.

Ainda, a associada cita os Art. 1º e 2º da decisão do CNJ, tomada no âmbito do Ato Normativo 007553-30.2020, no dia 23/02/2021:

“Art. 1º Todos os ramos e unidades do poder Judiciário deverão adotar a obrigatoriedade da designação de gênero para nomear profissão ou demais designações na comunicação social e institucional do Poder Judiciário nacional”.

(…)

“Art. 2º O Poder Judiciário nacional, em todas as suas unidades e ramos, deverá adotar a designação distintiva para todas e todos integrantes, incluindo desembargadores e desembargadoras, juízas e juízes, servidores e servidoras, assessores e assessoras, terceirizados e terceirizadas, estagiários e estagiárias”.

A Promotora comemora esta decisão e finaliza com um lembrete: “E de agora em diante, não se esqueça de sempre cumprimentar a todas e todos, de agradecer a todas e todos. Isso não é bobagem. É respeito”.

Clique aqui para ver a publicação.

Confira mais conteúdos sobre atualidades jurídicas no âmbito de proteção da criança, do adolescente e da mulher no perfil da associada: @katia.kruger.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.