Mulheres Destaques

Mulheres Destaques de Maio/2020 – Parte 3

Michelle Ribeiro Morrone Fontana é a terceira associada homenageada do mês
20 de May de 2020

Neste mês, a terceira associada destaque é Michelle Ribeiro Morrone Fontana, Promotora de Justiça com atuação no Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça (CAOP) de Proteção à Saúde Pública.

Natural de Curitiba, Capital do Paraná, Michele nasceu em 13 de fevereiro de 1977. É graduada em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), turma de 1994 a 1998. Em 2010, defendeu seu mestrado na Faculdade de Direito de Lisboa, em Portugal.

Morrone contou sobre a escolha do curso de Direito: “Se, à época do vestibular, eu tivesse feito algum teste vocacional, imagino que ele apontaria para alguma área de exatas. Gosto de matemática, física e química, mas, também, tenho um lado humanista muito forte, de preocupação com as pessoas e de necessidade de tentar ajudá-las. O Direito, para mim, era a maneira em que me via em condições de intervir positivamente na vida das pessoas, inclusive de maneira coletiva”.

Quando estava cursando o 3º ano da faculdade, Michelle começou a busca por estágio. Na ocasião, surgiram três oportunidades: uma num escritório de advocacia, outra no Tribunal de Justiça e a terceira no Ministério Público. A associada relevou: “Confesso que tinha certa preferência pela colocação no Judiciário. No entanto, foi a vaga no Ministério Público que acabou se concretizando. E, agora, percebo que a vida nos proporciona oportunidades na hora e momento certos. Revela que tem curso próprio e nos conduz para o caminho certo. O surgimento da vaga de estágio no Ministério Público fez com que eu abandonasse o interesse inicial pela carreira da magistratura e voltasse meu olhar à nossa instituição”. Ainda, durante período de estágio, Michele conheceu quatro Promotores de Justiça, que para ela, esses profissionais muito comprometidos, valorosos e únicos, contribuíram, sem dúvida alguma, para o seu redirecionamento profissional. São eles: Hélio Airton Lewin, José Ivahy de Oliveira Viana, Roberto Aires de Toledo Arruda e Mario Sbalqueiro.

Em 16 de abril de 1999, ingressou no Ministério Público do Paraná (MPPR). Nesses mais de 21 anos de carreira, atuou como Promotora Substituta nas Comarcas de Foz do Iguaçu, Medianeira e Capitão Leônidas Marques. Como titular atuou em Barracão, Reserva, Palmas, Paranaguá, Ponta Grossa e, atualmente, em Curitiba.

Para a associada, a Comarca que mais a marcou foi a de Barracão: “Não apenas por ter sido minha primeira Comarca como titular, mas ser uma cidade em que conheci pessoas incríveis e acolhedoras, onde pude servir a uma população carente em vários aspectos e sentir-me verdadeiramente uma Promotora de Justiça, com possibilidade real de transformação social”. Michelle também comentou da passagem pela Comarca de Palmas: “Não posso deixar de mencionar, a Comarca de Palmas que me ofereceu grandes amigos. Lembro-me dela com muito carinho”.

Atualmente a Promotora de Justiça atua no Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção à Saúde Pública e relatou um pouco de como é o trabalho: “Brincamos internamente que, no CAOP Saúde Pública, podemos morrer de tudo, menos de tédio. Cada dia surge uma demanda diferente e, invariavelmente, urgente. Há o desafio de atender com prontidão e qualidade as demandas que chegam ao Centro de Apoio, sem nunca esquecer que estamos lidando com a vida e saúde do ser humano, o que exige um olhar sensível, para além das normas jurídicas”. Continuou, “Como se pode imaginar, a inédita crise sanitária que estamos vivendo, com suas cruéis consequências, eleva nossa responsabilidade e dever de bem desempenhar nossas atribuições. Apesar do cenário dramático, o que particularmente me confere alguma tranquilidade é estar trabalhando com colegas de reconhecida competência, além de muito ter aprendido com outros que lá passaram. Cito, por todos, o Coordenar do CAOP, Marco Antonio Teixeira”.

A associada expôs que a pandemia tem exigido de todos (e cada um) um esforço, uma contribuição a mais e que a atuação do MP, neste momento, tem o objetivo de minimizar os efeitos da Covid-19: “É uma realidade nova e perversa que vindica solidariedade e união. O Ministério Público, como defensor dos interesses sociais e individuais indisponíveis, pode significar a diferença na intensidade do resultado. Por isso, acredito ser inevitável que o Ministério Público canalize suas forças, em suas mais variadas áreas de intervenção, para minimizar as consequências do coronavírus”.

Ressaltou que a contribuição do CAOP Saúde Pública, nesse processo - e que, certamente, é a linha de atuação dos demais Centros de Apoio -, pode ser resumida no esforço de reunir as melhores e mais atualizadas informações para subsidiar a atuação dos Promotores de Justiça, auxiliando-os nos processos decisórios. “A velocidade dos acontecimentos e as incertezas normativas e jurisprudenciais exigem do CAOP atenção redobrada”, afirmou.

Acrescentou também que paralelamente, o CAOP Saúde Pública tem participado de reuniões do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE-Covid-19), com as Secretarias de Estado da Saúde e da Segurança Pública, com entidades e órgãos públicos com atuação na área de saúde, para acompanhar as políticas que estão sendo planejadas e implementadas para o combate da pandemia. Para conferir mais sobre a atuação do CAOP de Proteção à Saúde Pública, em razão da pandemia do novo coronavírus, clique aqui.

Todo esse trabalho, nessa nova realidade, necessita de um esforço ainda maior, já que é realizado dentro da dinâmica do lar, em home office. Para Morrone, está sendo um enorme desafio conseguir equilibrar todas as tarefas profissionais, maternas e domésticas, sem perder a higidez física e mental. A associada partilhou como tem sido o dia a dia da família: “em casa, procuramos manter a rotina anterior ao distanciamento social, acordando cedo e tomando café da manhã juntos para, então, cada um dar início ao seu trabalho/lição escolar. No percurso, há cansaço, estresse, manha, choros, culpa por não conseguir dar atenção às crianças, dividir computador com o filho menor, resolver problemas de matemática da mais velha, enquanto atende telefonemas e surgem situações de trabalho imprevistas que precisam encaminhamento urgente. Um verdadeiro caos controlado. Sinto, porém, que a cada dia estamos nos adaptando e nos ajustando à nova realidade, aprendendo a respeitar meus limites, do meu marido e das crianças, a flexibilizar, aceitar e simplificar”.

Com o trabalho remoto, a Promotora enfatizou a importância da tecnologia para a organização das tarefas: “A ausência do contato pessoal dificulta termos conhecimento mais imediato sobre as demandas, as atividades que cada um está desenvolvendo e, também, um alinhamento de nossas respostas. Para que essa dificuldade não impeça nosso trabalho, estamos nos valendo das facilidades tecnológicas disponíveis e realizando reuniões virtuais com a equipe diariamente”.

Por fim, Michelle afirmou que não se sente no direito de se queixar, pois, nas palavras da própria associada, “nada, absolutamente nada, se compara à angústia, ao desespero, à descrença, à tristeza e às dificuldades que muitos estão vivenciando”.

Michelle por ela mesma

Para uma definição em poucas palavras, posso dizer que sou uma otimista incorrigível. Tenho sempre aquela crença – quase que ingênua - de um final feliz.

Um local

Nesse momento gostaria mesmo de simplesmente caminhar num parque e poder me reunir com minha família na casa dos meus pais.

Hobbies

Estou aprendendo a tocar violão e bateria. A música alegra e tem se mostrado uma boa terapia.

Uma Frase

Eu não sou o que me acontece, eu sou o que escolho me tornar” (Carl Jung)

Parabenizamos a Promotora de Justiça Michelle Ribeiro Morrone Fontana, pela sensível, humana e eficaz atuação no CAOP de Proteção à Saúde Pública, que subsidia e possibilita um trabalho de excelência a todos os Promotores e Promotoras de Justiça do Paraná.

Crédito Foto: Jornal Diário dos Campos

Membros do CAOP de Proteção à Saúde Pública: Michelle Ribeiro Marrone Fontana, Caroline Chiamulera e Marco Antonio Teixeira (Coordenador)

Crédito: MPPR


Crédito: MPPR

Veja abaixo a participação da associada no programa MP Debate, da Escola Superior do MPPR:

- MP Debate - “Desafios da Saúde Pública frente a Covid-19


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.